Segredos sociais e substractos universais

A experiência revela competição entre pares para adoptar o conformismo, também nas ciências. Embora o espírito crítico e a transdisciplinaridade continuem a ser propósitos formalmente prioritários, as organizações, os financiamentos, as avaliações da ciência contradizem tais prioridades, favorecendo a hiperespecialização utilitária e desqualificando a inovação teórica fundamental.

A tensão criada pela necessidade de procurar a superioridade pessoal competitiva é administrada pelas escolas, incorporando o critério meritocrático nos estudantes bem e mal-sucedidos, isto é, o desejo de imitar e servir as elites. A miséria e a opressão são legitimadas pela culpabilização das vítimas, a par do alegado esforço institucional das escolas, e dos estados, em assegurar igualdade de oportunidades, apesar desta não se confirmar na prática.

A ciência, a escola, o aspecto social dos estados do pós-guerra, dividem-se entre as retóricas institucionais, esgrimidas na comunicação social pelos administradores ou seus representantes, e as práticas organizacionais informais, mais ou menos corruptas e criminosas, que não correspondem ao desenho ideal de finalidades e funcionamentos.

Depois de tudo o que é dito e feito, mais é dito do que feito

Esopo, fabulista na Grécia Antiga

Esta diferença abissal entre instituições (ditas) e organizações (feitas) não resulta do capitalismo. Resulta da democratização do espírito imperial pelos estados sociais e pelas escolas, incluindo as ciências naturais e sociais.

Reconhecê-lo, organizar a procura das verdades (gerais, políticas) encobertas pelos segredos sociais (especializados, tácitos) que se produzem nesse abismo é uma tarefa emancipadora, no mesmo sentido que reconhecer um problema de adicção é indispensável para poder avançar para tratamento.   

Exemplo de um desses segredos a estudar e revelar é a relação conceptual entre capitalismo e império, como se este resultasse do primeiro, o que evidentemente é falso.    


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.